A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Real Quinta de Alcântara, 1669

Real Quinta de Alcântara, 1669
XVl - XVIl
Portugal
 

Real Quinta de Alcântara

Pier Maria Baldi; In Viaje de Cosme de Médicis por España y Portugal (1668-1669) 

Edição e notas de Angel Sánchez Rivero y Angela Mariutti de Sánchez Rivero. Madrid : Sucesores de Rivadeneyra, [1933].


Nota:

Na sua origem esta quinta pertenceu a um rico mercador João Baptista Revelasco que por dividas à casa Real  lhe foi confiscada a propriedade em 1602. Sem a grandeza de um paço real, os seus jardins eram lugar de recreio e merenda da família real pela suas magnificas vistas  sobre a barra do tejo. A quinta e os jardins foram objecto de inventário de 1639. O traço preciso de Baldi permite-nos ter uma visão da estrutura arquitectónica da quinta, no século XVII, marcada por um significativo conjunto de edifícios.

Pier Maria Baldi era italiano e foi ajudante da camara do príncipe Cosme de Medicis a quem acompanhou na viagem que este fez por Espanha e Portugal em 1668/1669. Durante a viagem Baldi desenhou um conjunto de vistas dos lugares por onde passou a comitiva, destacando-se em  Lisboa, duas panorâmicas da cidade, a Real Quinta de Alcântara, o convento dos Jerónimos.


Bibliografia:

Silva, A. Vieira da, “Iconografia de Lisboa, notícia histórica, in Revista Municipal, lisboa,  nº 32, 1947, pp.5-18.

Documentos para a História da Arte  em Portugal, fasc. Nº 6,  Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian,1969, pp.65-66



 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009