A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Palacete Barão de São Clemente

Palacete Barão de São Clemente
XIX - XX
1859
Brasil
Arquitectura

Antiga residência do Barão de São Clemente, erguida por volta de 1859, e situada à Rua Marquês de Abrantes, nº 55, no bairro do Flamengo, Rio de Janeiro.  O bairro era ocupado por chácaras, e passou por um grande adensamento nas décadas de 1960/70. Atualmente há predominância de edifícios de gabarito alto, em sua maioria de uso residencial. No entanto, ainda é possível encontrar construções mais antigas que resistiram à especulação imobiliária.

A casa se localiza no meio de um terreno arborizado que se separa da via publica através de um gradil em ferro fundido, sobre base de cantaria. A orientação da fachada principal é Oeste. Assim como muitas casas de chácara dessa região, o palacete de São Clemente teve parte seu terreno loteado, tomando forma irregular. Há um acesso secundário pela Rua Senador Vergueiro, nos fundos, e outro de pouco uso no limite lateral da Travessa dos Tamoios. Além da casa principal, outros edifícios foram adicionados em períodos posteriores, para atender às necessidades do Colégio Bennett, que ocupa o imóvel desde 1919. 



A casa é um sobrado, sobre porão alto situado em centro de terreno, em composição que segue os princípios do neoclássico. O pavilhão tem planta em “L”, sendo o bloco principal quase quadrado, acrescido de uma pequena ala que abrigava serviços. O imóvel sofreu reformas, com o acréscimo de uma varanda de ferro e escadaria nos fundos. O sótão é habitável, e uma camarinha ocupa o ponto mais alto do telhado, paralela à fachada principal. 


A fachada principal é composta por porta e seis janelas de peitoril, no térreo e, sete janelas de sacada no andar nobre. Pequenas sacadas de concreto com balaustrada, suportadas por mísulas compõem os dois vãos laterais, e os três vãos centrais dão para uma sacada corrida do mesmo tipo. Os vãos tem moldura de cantaria e bandeiras em arco pleno.

O pavimento térreo é revestido em silharia de argamassa. No pavimento nobre os vãos recebem uma moldura adicional de argamassa, com frontões triangulares no vão central e dois laterais. Uma larga cornija arremata o plano da fachada, encimada pelo beiral do telhado em telhas de barro. O porão alto é marcado por soco de cantaria, com óculos ovais, emoldurados em cantaria.


A fachada lateral direita é composta seguindo o padrão da fachada principal, com cinco janelas de peitoril no térreo e cinco no piso nobre. A camarinha tem uma de suas frentes para essa fachada, com uma janela de veneziana e vidro central. O acabamento da empena segue o estilo neocolonial, terminando em curva suave, com duas volutas centrais. Três pinhas de argamassa marcam o centro e o término da composição.

A fachada lateral esquerda é dividida em dois módulos de acabamento distinto, sugerindo uma ampliação da casa original. O módulo que compõe o volume central da edificação tem acabamento no mesmo padrão da fachada principal, e compõe-se de cinco vãos, sendo que no térreo quatro são janelas de peitoril com bandeira em arco pleno e, um é uma porta secundária, com pequena escada. No piso nobre estão cinco janelas de peitoril com bandeira em arco pleno. A camarinha tem uma segunda frente para este lado, com acabamento igual ao da outra fachada.

A fachada que corresponde à ala de serviço está danificada por acréscimos que foram demolidos sem que tenha havido reconstituição dos vãos originais. No entanto, podem-se ver no piso nobre, não atingido pelas obras, quatro janelas de peitoril de verga reta, com moldura de cantaria e um pequeno quadro em argamassa que busca compor o alinhamento das demais esquadrias.


As janelas de peitoril da fachada principal têm duas folhas externas em vidro e internas de madeira, com bandeira de vidro em arco pleno. As janelas de sacada seguem o mesmo padrão. Nas fachadas laterais as janelas têm a mesma forma, mas possuem folhas externas de veneziana. Os vão têm moldura de cantaria, e uma moldura externa em argamassa, com sobreverga. As janelas da ala de serviço têm verga reta, também com veneziana externa, e um quadro em argamassa com sobreverga compõe o alinhamento com as janelas do bloco principal.

Os balcões da fachada são em concreto, com mísulas de apoio e balaustrada também em cimento.

Os óculos do porão alto são ovais, com grade de ferro, e moldura de cantaria.

O patamar da escada de acesso tem trabalho em mármore branco, cinza e preto, em forma de polígono estrelado inserido em moldura oval com elemento fitomorfo no centro.


Fachada Posterior

A fachada posterior foi modificada pela justaposição de uma varanda de ferro. Originalmente a varanda superior tinha acesso exclusivo por uma porta do pavimento nobre, mas uma escada de alvenaria foi construída em período posterior, ligando-a ao térreo. Os vãos tem moldura de cantaria, com bandeira em arco pleno, recebendo uma moldura externa de argamassa, com verga reta e sobreverga.

 

Portal de entrada

A porta de entrada está no eixo da fachada principal, e é acessada por uma pequena escada semicircular, revestida em mármore. O portal tinha uma cobertura em ferro que foi removida.


Programa Interior
Azulejaria
Estuques
Pintura Decorativa
Decoração Diversa
Equipamento Móvel
Equipamento Diverso


containertab

Validar
Validar
 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009