A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Palacete Guinle de Paula Machado

Palacete Guinle de Paula Machado
Palacete Lineu de Paula Machado
XIX - XX
1909-1913
Brasil

Armando Carlos da Silva Telles (arquiteto construtor) e Joseph Gire.

Arquitectura

A casa está situada na confluência das ruas São Clemente, Guilhermina Guinle e Dona Mariana, no bairro de Botafogo, em um terreno com 6.700 m². O bairro encontra-se adensado, ocupado, majoritariamente, por edifícios residenciais multifamiliares com gabarito em torno de 10 pavimentos. As ruas Guilhermina Guinle e Dona Mariana têm ainda um importante conjunto de casas preservadas, a maioria delas da primeira metade do século XX, tendo pertencido a famílias de destaque na sociedade carioca. Os jardins do palacete em questão destacam-se na paisagem imediata, constituindo uma das últimas áreas verdes do bairro. A localização em centro de terreno confere destaque à edificação, permitindo sua visualização sob diversos pontos de vista.

Mansão eclética de feições neorrenascentistas ao estilo francês, com porte-cochère aterraçada, telhado em mansarda e um torreão central coberto de telhas de ardósia. O conjunto era composto pela casa principal, por uma edícula com cocheira e serviços, e pelo jardim e pomar. A edificação principal está em centro de terreno, com a fachada principal voltada para a rua Dona Mariana, e a fachada posterior para a rua Guilhermina Guinle. O fundo do terreno é ocupado pela edícula e pomar, e a frente da rua São Clemente pelo jardim.

A casa é composta por dois volumes prismáticos, o primeiro de maior porte e melhor acabamento, ao qual está adossado o menor, menos visível, do lado dos fundos do terreno. O bloco principal possui cobertura em mansarda, com um torreão central, e a porte-cochère com terraço projetada em relação à fachada principal. O acesso à casa se dá através da porte-cochère, por uma escada central e duas rampas laterais.


A fachada principal está voltada para a rua Dona Mariana. O primeiro pavimento é rusticado e possui sete envasaduras em composição simétrica, sendo a central mais larga, marcando o acesso à casa. Os vãos têm verga reta. Os dois vão mais próximos ao principal são portas que dão para o hall, os centrais são nichos com esculturas e os extremos são janelas com venezianas. Entre o primeiro e o segundo pavimento há uma balaustrada que divide visualmente a fachada e serve de guarda-corpo para o terraço. No segundo pavimento os vãos são encimados por frontões interrompidos alternadamente, curvos e triangulares. O conjunto é arrematado por uma grande cimalha apoiada em mísulas, com três águas furtadas. Um frontão arredondado que sustenta a água-furtada central e o torreão. O telhado em mansarda possui dois óculos ornamentados, e é terminado por um gradil de ferro decorativo.

A fachada voltada para a rua São Clemente recebe um tratamento semelhante ao da principal, tendo apenas dois vãos e uma água-furtada centralizada. Uma pequena escada dá acesso direto ao escritório.

1910 Celina Guinle solicitou licença à Prefeitura do Rio de Janeiro, então Distrito Federal,  para reformar  imóvel existente na rua São Clemente xx, possivel desmembramento de terreno de seu pai, Eduardo Palassim Guinle.

1911 Celina Guinle casa-se com Lineu de Paula Machado, com quem teve quatro filhos, que herdaram o palacete.

1917 É realizada obra de expansão, também de autoria de Armando da Silva Teles, que atingiu principalmente o pavimento superior e a fachada voltada para a rua Guilhermina Guinle, acrescentando cinco quartos, rouparia e depósito

2005 Morte de Francisco Eduardo de Paula Machado, filho do casal, o último ocupante da casa.

2011 O imóvel é comprado pela Firjan.


Proprietários: O primeiro registro do imóvel está em nome de Celina Guinle de Paula Machado, a quem sucederam seus filhos Heloísa, Francisco Eduardo, Lineu Eduardo e Cândido.
 

Proprietário atual: Firjan.

Video Casa Firjan da Indústria Criativa

Tombamento municipal Dec. 6934/87 – 09/09/1987.

Tombamento provisório estadual – E-18/000.735/2005 – 10/05/2006.

Programa Interior

Programa geral – Tipologia e planta

O atual Palacete Guinle – Paula Machado é resultado de diversas intervenções realizadas a partir de 1910. A casa comprada por Celina Guinle a Luiz Pereira Ferreira Faro em 1907 era um bloco retangular, com o eixo maior no sentido norte-sul, a face menor voltada para a rua São Clemente. A parte fronteira do pavimento térreo era ocupada pelo setor social, com entrada por uma varanda que dava para um pequeno hall, que se comunicava com outro maior, onde ficava a escada de acesso ao sobrado parcial. Oito cômodos de diferentes dimensões compunham esse setor, além de uma pequena escada helicoidal, provavelmente destinado aos empregados. Além de se abrirem umas para as outras, as diferentes salas eram servidas por um corredor central, ao qual sucedia a um outro corredor que levava ao setor de serviços. O bloco de serviços era ligeiramente mais estreito que o bloco principal. O sobrado provavelmente abrigava o setor íntimo, com sete compartimentos ligados uns aos outros, sem corredor. Este pavimento era menor que o bloco social do térreo. Em 1910, Celina encomendou ao arquiteto Armando da Silva Teles um projeto de reforma e ampliação da casa. De acordo com o requerimento apresentado à prefeitura do então Distrito Federal, as obras compreenderiam “pintura, forração e decoração interna, demolição e reconstrução da fachada lateral, decoração das demais fachadas, reconstrução do telhado e fazer as modificações internas conforme indicadas no projeto, bem como pintura dos gradis”.

A reforma de Silva Teles transferiu a entrada principal da casa da fachada norte (rua São Clemente) para a oeste (rua Dona Mariana). Para isso foi preciso construir um pequeno bloco no sobrado, contendo um apartamento de sala, quarto e banheiro. Também foram acrescentados uma galeria no pavimento térreo, encimada por um terraço, e um pórtico com porte-cochère. O telhado foi reconstruído com mansarda em telhas de ardósia, completando o caráter de renascimento francês da decoração acrescentada às fachadas. Foram realizadas pequenas modificações nos vãos internos, e um pequeno bloco contendo uma adega e um banheiro foi construído nos fundos.

A segunda grande intervenção na casa data de 1917. O acesso à casa foi reformulado, com a criação de um grande hall, que articula todo o setor social. A escada principal foi transferida para o lado direito do hall, em posição simétrica à do escritório, que possui acesso independente pelo jardim. A circulação vertical se completa por um pequeno elevador, situado no hall, entre as portas das salas de estar e de jantar. Três pequenas salas foram unidas num grande salão de estar, e a sala de jantar ganhou uma bay window.

O setor de serviço se organizou em duas cozinhas, duas copas e adega, e o pequeno bloco que antes ficava proeminente foi completado, para que todas as fachadas ficassem alinhadas. No segundo pavimento foram acrescentados cinco novos quartos, assim como um banheiro e uma capela.
A casa possui ainda um bloco anexo, localizado nos fundos do terreno, onde ficavam as dependências de empregados e garagem.

Azulejaria
Piso 1, divisão 7 - Banheiro

Paredes e teto com revestimento irregular de azulejos monocromáticos em diferentes tons de azuis e de dimensões desiguais.



Piso 0, divisão 8  - Cozinha

Paredes revestidas com azulejos policromados formando sistema de lambris composto por: silhar de azulejos em tons de marrom, ocre e verde com motivos geométricos e elementos vegetalistas estilizados; barra de roda-meio com azulejos relevados com motivos geométricos, guirlandas e friso de óvalos; seção superior com azulejos monocromáticos em tons de amarelo dividida por finos frisos verticais; e barra superior composta por azulejos em tons de amarelo com motivos vegetalistas estilizados.

Silhar com azulejos relevados em verde e branco, formando desenho de “rendilhado” com motivos geométricos e vegetalistas estilizados, delimitado por uma barra superior composta pelos mesmos motivos ornamentais.



Piso 0, divisão 9  - Cozinha

Lambril de azulejos monocromáticos brancos delimitado por uma cercadura de friso simples sem ornamentação. Rodapé com azulejos marmorizados em tom de verde.

Piso 0, divisão 12 - Adega

Paredes revestidas com azulejos biselados e monocromáticos brancos com detalhe decorativo relevado de fino astrágalo de cordão e friso de arcos estilizados.

Estuques
Piso 0, divisão 2 - Hall

Plano do forro sem ornamentação e nas paredes apainelados sem profundidade com molduração fina e simples. Duas colunas dóricas sustentam o rebaixamento de teto que na passagem para o hall se converte em arquitrave do forro mais elevado, a qual é encimada por uma cornija larga de dentículos e por um friso de óvalos e astrágalo de pérolas. As colunas têm o capitel decorado com um friso clássico de óvalos e as bases com um toro de laçaria clássica que também decora as bases das pilastras quadrangulares, cujo fuste recebe ornamento vertical de arabescos reunindo motivos de medalhão, cesto com frutas e flores, folhagens, vasos sobre tripé com patas e ramalhetes de trigo.

O arco de sobre-porta entre duas pilastras, abriga uma painel cujo baixo-relevo de figura feminina sentada com vaso, guirlanda de flores e cachorro, sugere a representação do “Banho da Ninfa” ou “Banho de Diana”, afresco de Rosso da Galeria François I. A ornamentação segue o repertório já empregado com friso de óvalos contornando todo o arco, além de dois acabamentos superiores de ornatos de folhas de acanto inseridos em pequenos painéis triangulares, e uma mísula clássica com volutas arrematando o centro da arcada.    

Piso 0 - divisão 3 - Hall da escada

A escada em curva apresenta trabalho em relevo de estuque com um largo friso grego de fita ondulada abaixo do corrimão, e que se estende ao longo da parede externa, acompanhando a curvatura da mesma. No detalhe, um ornato de folha de acanto do qual parte a fita ondulada. O friso compõem também as paredes internas da escada, formando uma moldura de roda-meio. Abaixo da cornija atenuada, um friso dentículos se agrega a um friso simples com caneluras, compondo o roda-teto. 



Piso 1, divisão 2 - Circulação

Plano do forro sem ornamentação e nas paredes apainelados sem profundidade com molduração fina e simples e decoração com ornamento vertical de sequência de rosetas.



Piso 1, divisão 6 - Quarto principal

Plano do forro sem ornamentação. O lambri das paredes consiste em apainelados sem profundidade, com molduração fina e simples; e no roda-teto, uma cinta ricamente trabalhada com friso de óvalos e friso de guirlandas contínuo Luís XVI. A cornija reta é composta de uma moldura romana de folhas de acanto e de um fino cordão de pérolas.

A arcada cega na parede de entrada cria um grande nicho decorativo emoldurado por um toro francês de feixes de junco e fitas entrecruzadas, e coroado por um ornato de concha e ramos de louro. O intradorso do arco recebe decoração apainelada com fina modinatura e um compartimento esférico na chave de abóbada, de onde partem os painéis retangulares que seguem pela arcada até o rodapé. Dois pequenos painéis triangulares que acompanham a suave curva do arco, são guarnecidos de ornamento de folhas de acanto e arrematam a arquivolta.

Os painéis de sobre-porta são decorados com janelas de caixilhos em cruz espelhadas; e o silhar delimitado por um friso de roda-meio é composto por uma ensambladura de painéis retangulares.

Pintura Decorativa
Decoração Diversa
Piso 0, divisão 2 - Hall

Pavimento de mosaico cerâmico policromado, formando padrões geométricos diversos com reserva semicircular raiada ao centro, e cercadura composta de friso amarelo e elementos vegetalistas estilizados; reserva retangular com padrão xadrez e florezinhas estilizadas; e cercadura externa com desenhos geométricos e elementos vegetalistas estilizados.

Piso 0, divisão 5 - Sala de Jantar

Pavimento em parquet de madeira formando quadrados com molduras sobrepostas em entrelaços nos vértices; e cercadura larga de retângulos em laçaria.



Piso 0, divisão 15 - Hall do lavabo

Pavimento em parquet de madeira com cercadura larga de hexágonos e losangos alternados em laçaria.



Piso 1, divisão 2 - Circulação

Pavimento em parquet de madeira com cercadura de f riso de meandros, meandros com duplo filete e reserva central retangular com duplo filete.



Piso 1, divisão 4 - Quarto

Pavimento em parquet de madeira com cercadura de friso grego.



Piso 1, divisão 5 - quarto

Pavimento em parquet de madeira com cercadura de friso grego em formato de “T” com duplo filete externo.



Piso 1, divisão 6 - Quarto principal

Pavimento em parquet de madeira com cercadura larga de friso de meandros entrelaçados.



Piso 1, divisão 8 - Quarto de vestir

Pavimento em parquet de madeira formando um padrão de quadrados duplos com cercadura de losangos em sequência.



Equipamento Móvel
Equipamento Diverso
Piso 0, divisão 9 - Cozinha

Bancada em pedra mármore com pés em forma de consolo, e prateleira suspensa em pedra mármore. Pia de lava-louças retangular, em pedra mármore, com pés em forma de consolo, e armário suspenso em madeira pintada para secagem e armazenagem de louça. 

Piso 1, divisão 7 - Banheiro

Banheiro com lavatório duplo em bancada de mármore Carrara e, ferragens em metal prateado; par de arandelas Art Déco em metal prateado e vidro leitoso, estante para perfumaria espelhada com prateleiras de vidro e cabideiro em metal prateado.



containertab

Validar
Validar
Validar
Validar
Validar
Validar
 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009