A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Quinta da Francelha

Quinta da Francelha
Quinta da Francelha de Cima
XVIl
Portugal
Arquitectura

Inserido fora da malha da cidade no interior de uma quinta, o edifício tem um pátio de honra a Nascente, ladeado por edifícios de igual desenho, compondo uma entrada de aparato. O jardim é fronteiro ao alçado sudoeste, tendo ainda um pequeno jardim na zona nordeste. Todo o conjunto é circundado pela quinta. Situa-se no concelho de Loures, com acesso pela estrada da Circunvalação. Pertence à freguesia do Prior Velho. O terreno é plano.

francelha_4 francelha_3 francelha maro 1926

A morfologia do edifício assenta na composição de um prisma rectangular regular, definido num volume maciço em “L”. O edifício organiza-se em dois pisos e sótão com cobertura de quatro águas. A entrada de aparato faz-se pela fachada, a Este, situada ao centro do pátio-de-honra. Este é ladeado por dois corpos de piso térreo com cobertura de duas águas e de desenho semelhante.

A zona de aparato situa-se no piso 1 e localiza-se no volume a Este, estendendo-se ao longo de toda a zona respeitante ao alçado sul. A zona de serviços situa-se actualmente no piso térreo, a Oeste do edifício, com a cozinha no topo noroeste, sendo comunicante com as divisões a Este e a Sul, possíveis divisões afectas ao serviço, como armazéns e despensas. O piso 1 tem ainda uma cozinha, com escada pelo exterior, situada no alinhamento da capela. As zonas particulares de carácter privado situam-se no piso térreo, a Este, e nas divisões intercomunicantes do piso 1, a Noroeste, imediatamente a seguir à escada de acesso exterior à cozinha do piso 1.

O edifício tem capela integrada na sua volumetria e corresponde a um desenho interno de secção hexagonal com cúpula na cobertura interior. O acesso à capela faz-se pelo alçado sul, por um pequeno vestíbulo; a sacristia situa-se a Este do altar-mor.

Os acessos ao piso superior correspondem à escada nobre, imediatamente após o vestíbulo, com desenho em “U”, com três lanços e três patamares. As escadas de serviços e particulares fundem-se na organização espacial, sendo excepção a escada exterior, a Norte, que comunica com uma cozinha no piso 1.

3 fachada 1 qta.francelha_14.out.2011 12 alado 2 alado 3

Voltada a Nascente, é flanqueada por segmentos de muro que avançam paralelos à mesma, a ladear a alameda de acesso ao edifício, antecedida por um portão de ferro forjado entre pilares com remate de bola sobre plinto baixo.

A frontaria é delimitada por cunhais de cantaria rematados por urnas e apresenta uma composição simétrica, com três panos, sendo o central enquadrado por pilastras onde se abre o portal de moldura rectangular rematado por cornija recta alteada, onde assenta o avental de lados curvos da janela que o encima, terminando em frontão triangular com tímpano decorado e encimado por urnas. Os panos laterais são idênticos, com dois pisos separados por friso, com embasamento pouco saliente e fenestração com distribuição regular, composta por duas janelas de peito com molduras rectangulares e caixilhos de guilhotina em cada piso. Remate em cornija sob beiral. No telhado surgem pequenas trapeiras.

À esquerda da frontaria a fachada da cavalariça, de piso único, centrada por grande arco rebaixado entre duas pilastras almofadadas, flanqueado por duas portas rectangulares, adossando-se à direita pequeno corpo recuado aberto por uma única janela rectangular, de guilhotina, delimitado por pilastra almofadada, onde encaixa portão de ferro forjado, com pilar idêntico do lado oposto. Remate em cornija sob beiral. A meio do telhado eleva-se um murete. Neste alçado situa-se uma bica de pedra em forma de cabeça feminina encimada por mísula com uma imagem de Santo António.

À direita da frontaria, a fachada da cocheira de piso único que se desenvolve em composição simétrica de três panos, centrada por um nicho em arco pleno que abriga uma cabeça masculina firmada num suporte de forma piramidal, igualmente enquadrada por nicho. O nicho é ladeado por duas janelas de moldura rectangular, tudo sob um frontão entre pilastras almofadadas. Cada pano lateral é marcado por grande arco rebaixado e rematado por cornija sob beiral.

2 fachada 4 fachada 3 fachada 2 4 5 _dsc2615 charariz_fach 1 charariz_fach 2 charariz_fach 4 charariz_fach 3

Fachada lateral Sul

Com três panos, sendo o central, marcado por pilastras duplas, correspondente à capela e rasgado ao centro por portal de moldura rectangular recortada, encimado por tabela com letra “M”, inscrita sob uma coroa mariana, ladeada por métopas estriadas onde assenta frontão curvo com roseta no tímpano, sob óculo circular. Remate em frontão triangular de dupla moldura, interrompendo a linha do telhado, decorado com delta luminoso no tímpano e no cimo uma cruz de ferro sobre base de cantaria e urnas laterais. Os panos laterais possuem dois pisos divididos por friso, tendo o da esquerda, no piso térreo, duas janelas transversais, uma porta e uma janela de moldura rectangular, e no piso superior cinco janelas rectangulares, idênticas às da frontaria; o pano da direita possui três janelas e uma porta de moldura rectangular, no piso térreo, quatro janelas idênticas às da frontaria no superior.

Fachada lateral Norte

Dividida por muro até metade da altura do 2º piso, no pano à esquerda é rasgada por duas janelas e uma porta em ambos os pisos, sendo a porta superior servida por escada com guarda de ferro forjado; no pano da direita existem duas portas de molduras rectangulares e três janelas, sendo a escada de acesso ao piso superior provida de guarda de alvenaria.

Remate em cornija sob beiral, existindo no telhado várias chaminés paralelepipédicas de diferentes dimensões, uma claraboia e um lanternim.


alado 3

Fachada posterior

Abre-se para pequeno pátio pavimentado com calçada portuguesa, tendo no piso térreo duas portas de molduras rectangulares e duas janelas transversais, e no piso superior três janelas de sacada unidas por varanda comum, guarnecida por guarda em ferro forjado e arcos plenos de sustentação.


AZEVEDO, Carlos de; FERRÂO, Julieta; GUSMÃO, Adriano de – Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa, 1963.

Idem - Monumentos e Edifícios Notáveis do Concelho de Loures, Loures: Câmara Municipal de Loures, 1983.

BESNARD, Marcel e outros – “Study of a XVIII century hand-painted Chinese wallpaper by multianalytical non-destructive techniques”, in Spectrochimical Acta Part B: Atomic Spectroscopy, vol. 64, nº 6, Junho de 2009, pp. 582-586.

GOMES, Ana Cristina da Costa e PINA, Isabel – “Papéis de parede da China em Casas Senhoriais Portuguesas”, in A Casa Senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores (dir. de Isabel Mendonça, Hélder Carita e Marize Malta), Lisboa, Instituto de História da Arte da FCSH da Universidade Nova de Lisboa e Rio de Janeiro, Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014, pp. 404-423.

ficha IPA.00006306, IHRU, 1991 e 2006. http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=6306.

PATRÍCIO, Maria Madalena de Trigueiros Martel – Quando eu era pequenina (Dezenas de Alegrias), Lisboa, Tipografia das Oficinas de São José de Lisboa, 1935.

RATTON, Diogo – Lettres de Diogo Ratton à Antonio de Araújo de Azevedo, comte da Barca (1812-1817), Paris, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Cultural Português, 1973.

STOOP, Anne de – Quintas e Palácios nos Arredores de Lisboa, Barcelos, 1986.


Século XVII

Construção da ala primitiva do palácio.

Século XVIII

Finais – ampliação da casa inicial com construção do corpo principal do palácio com a sua capela, mandados erigir por Félix Martins Costa, negociante muito bem cotado nos meios financeiros, tal como é referido por Diogo Ratton, nas suas memórias.

Século XIX

1827, 6 de Fevereiro – morre Félix Martins Costa.

Século XX

1925 – Maria Madalena de Trigueiros Martel Patrício e seu marido são os proprietários da Quinta da Francelha.

1935 – publicação das memórias de Maria Madalena de Martel Patrício, intituladas "Quando eu era pequenina", com referências diversas à Quinta da Francelha.


Coordenação:   Isabel Mendonça  /  Helder Carita     Julho de 2014  

Autoria dos textos referentes aos campos da ficha:

Isabel Mendonça – Estuques

Lina Oliveira – Arquitectura (Fachadas, Cronologia, Bibliografia) / Azulejaria / Pintura Decorativa / Decoração diversa

Tiago Molarinho Antunes – Arquitectura (Enquadramento Urbano e Paisagístico, Morfologia e Composição) / Programa Interior

Programa Interior
Piso 0
 

O piso térreo corresponde a uma ocupação maioritariamente de cariz privado, situada no volume a Este. A entrada de aparato situa-se ao centro destas divisões, junto à fachada principal. Tem capela hexagonal de pé-direito duplo e cobertura em cúpula, com vestíbulo voltado a Sul e sacristia a Este. O restante espaço do edifício neste piso terá sido maioritariamente ocupado por zonas de serviços, de que é exemplo a cozinha, a Oeste do volume rectangular longitudinal. Além da escada de aparato tem ainda dois acessos ao piso superior, um situado a Sul da escada de aparato, de um só lanço, que comunica igualmente com a cobertura. A outra zona de acesso ao piso superior situa-se a Oeste e interliga a zona de serviços com a zona de aparato, junto ao alçado sul. As divisões são maioritariamente intercomunicantes, verificando-se uma comunicação por corredor.


Piso 1

O piso 1 integra maioritariamente uma zona de aparato, uma zona de serviços e uma zona privada. A zona de aparato situa-se no volume Este e em todo o alçado Sul, com divisões intercomunicantes. A zona de serviços neste piso é reduzida à cozinha e a uma divisão actualmente intercomunicante, com acesso directo à rua por escada exterior. A zona de cariz privado corresponde a uma zona de divisões intercomunicantes situada a Norte do volume longitudinal oeste.


Azulejaria
Piso 0, Divisão 1

Lambril de azulejos com painéis de ramos de flores em azul, manganês e amarelo sobre fundo branco, intercalados por rectângulos marmoreados em amarelo com cercadura manganês.


Estuques
Piso 1, divisão 5

A cúpula da capela é decorada com caixotões centrados por rosetas, intercalados por faixas com cachos de uvas por trás de uma grelha losangular. Nas quatro trompas vêem-se troféus com insígnias de cargos da hierarquia religiosa, associados a objectos litúrgicos e a ramos de folhagem com bagas e a plumas. De características neoclássicas, os estuques datarão de finais do século XVIII ou dos primeiros anos do séc. XIX.


Pintura Decorativa
Piso 0, divisão 1

Pintura parietal com apainelados e lambris a imitar silhares de pedra mármore e calcária de várias cores.

Arco de pedra em asa-de-cesto sobre pilastras lisas.

Pintura de tecto com florão elíptico formado por um bouquet de rosas e pequenas grinaldas estilizadas com flores cor-de-rosa e amarelas, circundado por moldura igualmente elíptica e enquadrado por painéis trapezoidais perfilados por ramagem estilizada, tudo envolvido por cercadura com padrão vegetalista e floral, acompanhando a sanca.


Piso 0, divisão 2

Na parede, friso pintado com bouquets de rosas alternando com margaridas amarelas.

Pintura do tecto centrada por grande florão de folhas de acanto circundado por folhas e caules estilizados que formam pétalas em forma de volutas, com uma cercadura de palmetas, ladeado por dois painéis com fiada de ramalhetes floridos, tudo envolvido por faixas finas de volutas rematadas em folhas de acanto estilizadas.


Piso 0, divisão 3

Pintura parietal a imitar apainelados com frisos de finos elementos vegetalistas estilizados entrelaçados.

Pintura de tecto centrada por emblema alegórico formado por uma cornucópia da abundância de onde saem cachos de uvas, cereais e moedas, um caduceu, um bouquet de flores e pequenas ramagens douradas, tudo atado com uma fita e circundado por filete de ramagem e, perifericamente, por duas faixas de elementos vegetalistas estilizados e entrelaçados e moldura exterior com palmetas e volutas.


Piso 0, divisão 4

Pintura parietal a imitar apainelados com faixa de rosetas e finos elementos vegetalistas estilizados e entrelaçados, formando volutas.

Tecto apainelado acantonado de urnas floridas entre ramagens que formam entrelaços e volutas, tendo ao centro florão formado por roseta de onde emergem caules finos e ramagens estilizadas que se entrelaçam e rematam em volutas, tudo envolto por nastro, ladeado por painéis com folhas estilizadas e entrelaços formando volutas, tudo enquadrado por friso de caule contínuo sustentando folhagens estilizadas e envolvido por nastro espiralado.


Piso 0, divisão 5

Pintura parietal com apainelados a imitar silhares pedra mármore e calcária de várias cores e madeira.

Cúpula de caixotões preenchidos com florões em relevo e fundo pintado a imitar mármore, divididos por faixas pintadas com videiras suspensas de grilhagem geométrica.

Pendentes da cúpula pintados a imitar mármore contendo emblemas religiosos.


Piso 0, divisão 6

Pintura parietal formando apainelados e lambris imitando silhares de pedra mármore e calcária de várias cores e frisos vegetalistas com palmetas e volutas.

Tecto pintado centrado por painel octogonal com ramo florido circundado por grinalda estilizada e moldura envolvida por faixa de pequenas palmetas; nos cantos motivos ornamentais em forma de leque e lateralmente frisos a imitar sanefa; tudo enquadrado por faixa de elementos vegetalistas estilizados e caules formando volutas, com rosetas nos cantos.


Piso 0, divisão 7

Pintura parietal formando apainelados e lambris imitando silhares de pedra mármore e calcária de várias cores, e frisos com motivos florais, alternando bouquets e corolas em forma de taça.

Tecto pintado centrado por painel elíptico com 2 passarinhos pousados sobre arco com duas flechas envolto em ramagens estilizadas, circundado por finos filetes vegetalistas, tudo enquadrado por cercadura de volutas vegetalistas acantonada por rosetas.


Piso 0, divisão 8

Pintura parietal formando apainelados e lambris imitando silhares de pedra mármore e calcária de várias cores, e frisos com pequenas grinaldas de folhas, flores e gramíneas entrecruzadas, formando sucessão de elipses.

Tecto pintado centrado por painel em forma de mandorla com roseta de onde emergem caules finos com folhagem estilizada formando pétalas, orlado por friso fino ondeado e a moldura circundada por faixa de decoração floral, alternando buquês de rosas e de margaridas amarelas, tudo enquadrado por duas cercaduras molduradas, uma de ondeados com folhagem estilizada e a outra idêntica ao friso da parede.


Piso 0, divisão 9

Corredor com pintura parietal formando apainelados e lambris imitando silhares de pedra mármore e calcária de várias cores.


Piso 1, divisão 1

Pintura parietal e frisos com apainelados a imitar marmoreado em amarelo, verde e cinzento.

Tecto de masseira centrado por claraboia e abas trapezoidais com pintura de medalhões com representações alegóricas das quatro Estações, enquadradas por motivos florais, volutas vegetalistas e ramagens estilizadas.


Piso 1, divisão 2

Lambril pintado a imitar balaustrada de pedra sobre fundo de folhagem e flores.

Tecto pintado a imitar apainelados orlados por cercaduras recortadas com decoração vegetalista estilizada, com folhas de acanto, ramos de gramíneas e nastros formando gregas em amarelo, verde e cinzento, centrado por florão em grisalha com sombreado amarelo.


Piso 1, divisão 3

Pintura parietal a imitar apainelados emoldurados por frisos vegetalistas estilizados sobre barras de volutas vegetalistas centradas por medalhões de temática alegórica, alusivos às Artes e às quatro Estações, flanqueados por animais fantásticos, e intercalados por colunelos corolíticos com finos elementos florais e encimado por friso com encasamentos.

Lambris pintados a imitar apainelados com molduras a imitar pedras, onde surgem panos suspensos de rosetas, e um painel com mascarão semi-antropomórfico a centrar sanefa suspensa de rosetas.

Tecto pintado com grande painel octogonal de moldura vegetalista acantonado por ramos floridos ladeados de volutas vegetalistas e centrado por pintura alegórica da Ciência em medalhão circundado por elementos decorativos vegetalistas, florais e geométricos. As abas são pintadas com painéis de volutas e pendentes vegetalistas e acantonadas por medalhões de putti que representam os quatro elementos - água, fogo, terra e ar -, em grisalha, envoltos em motivos vegetalistas estilizados.


Piso 1, divisão 4

Pintura parietal a imitar apainelados emoldurados por frisos vegetalistas estilizados, encimados por faixa com composições floridas intercaladas, sobre frisos com bouquets e volutas de folhas, que encimam lambris com encasamentos de palmetas.

Tecto pintado centrado por medalhão elíptico guarnecido por coroa florida e por cercadura recortada imitando sanefa intercalada por bouquets, tendo ao centro um putto alado segurando uma coroa de louros e outra de flores. Os cantos são cortados em curva com friso em forma de rolo aberto, pintado com grinalda, e os lados percorridos com faixa ornamental e ramagens tendo a meio uma composição com dois pássaros sobre um pedestal. Uma série de palmetas e frisos com elementos vegetalistas e geométricos preenchem o enquadramento exterior, acantonado por pequenos painéis oitavados com representações de putti alados em grisalha.


Piso 1, divisão 5

Pintura parietal a imitar apainelados divididos por pilastras decoradas com pendentes vegetalistas, contornados por nastros e elementos vegetalistas e encimados por friso floral; e arco envolvido por pintura de grinaldas.

Lambril pintado com painéis, decorados com panos suspensos formando sanefas.

Tecto em masseira de forma octogonal, centrado por medalhão elíptico com representação de putto alado transportando uma taça decorada com laços e plumas, acantonado por pássaros pousados em ramos e rosetas laterais. As abas estão pintadas com taças floridas e volutas vegetalistas, encimadas por sanefas e intercaladas por candelabros de folhagem.


Piso 1, divisão 6

Pintura parietal a imitar apainelados emoldurados por frisos de motivos vegetalistas e faixa inferior com composição de ramalhetes em dourado, perfilada por pequenas palmetas e encimada por friso de bouquets de rosas.

Lambril com pintura de painéis circulares com florões, intercalados com composições de ramagens volutadas.

Sobre a sanca friso de palmetas em branco e dourado.

Tecto pintado com medalhão circular central com figura mitológica tocando lira acompanhada por putti alados, com cercaduras vegetalistas estilizadas e um friso de elementos vegetalistas e florais em dourado.


Piso 1, divisão 7

Pintura parietal a imitar apainelados emoldurados por frisos vegetalistas em dourado, inferiormente percorridos por faixas com taças de flores e frutos, flanqueadas por animais fantásticos semi-vegetalistas e pássaros que seguram grinaldas nos bicos.

Tecto pintado com medalhão elíptico central com quatro putti alados, um que transporta um cesto de fruta e os outros que roubam peças de fruta, com cercadura de elementos vegetalistas dourados e, circundando a sanca, uma moldura recortada com elementos florais e folhagem estilizada e arabescos que se repetem nos cantos, encimados por buquês, tudo enquadrado por friso de grilhagem geométrica.


Decoração Diversa
Piso 0, Divisão 5

Capela com parede do fundo revestida por grande retábulo marmoreado delimitado por pilastras estriadas centradas por florão dourado, antecedido de trono escadeado sobre o qual assenta arco pleno orlado por friso floral enastrado, encimado por painel com monograma sob coroa de nobreza entre dois ramos de oliveira com os pés atados, e encimado por pilastras com pendente vegetalista, rematadas por capitéis estriados encimados por florão que sustentam entablamento rematado por urnas com fogaréus e frontão curvo estriado intercalado por florões dourados.

Vão rectangular gradeado em lisonja, emoldurado por friso de grega dourada.

Porta de madeira apainelada e pintada com aduelas marmoreadas e lintel a imitar arquitrave, centrada por florão dourado que sustém pano branco suspenso lateralmente por rosetas, e flanqueada por pequenas pilastras estriadas com gotas pendentes. Encima a porta uma balaustrada de pedra.

Puxadores de porta com espelhos rectangulares emoldurados de folhas, flores e frutos.

Grande lustre com contas, agulhas, pingentes e castiçais de vidro.

Pia de água-benta em calcário vermelho em forma de taça com rebordo côncavo e bojo gomado sobre pequena mísula vegetalista.


Piso 1, Divisão 1

Porta encimada por vão rectangular envidraçado, com caixilhos de madeira.

Armação de ferro fundido e forjado com volutas e elementos vegetalistas rematada por cabeça de ave que segura um gancho no bico, de onde pende corrente com cadeeiro em forma de lanterna fechada de ferro e vidro.

Escada e patamar com guardas e corrimão de madeira pintada de vermelho e amarelo, intercaladas por pilaretes rematados por pinhas.


Piso 1, Divisão 2

Paredes revestidas com papel pintado com motivos chineses que representam um jardim que se desenvolve em perspectiva, contendo árvores, arbustos, rochedos, lagos, troncos, flores, aves de várias espécies, pousadas e volantes, e borboletas.


Equipamento Móvel
Equipamento Diverso


containertab

Validar
Validar
Validar
Validar
Validar
Validar
 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009