A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Engenho do Viegas

Engenho do Viegas
Engenho da Lapa
XVIII
Brasil
Desconhecido
Arquitectura

A casa está construída a meia encosta, com um porão alto aproveitando a diferença de nível. A fachada principal é voltada para norte-nordeste. A capela de Nossa Senhora da Lapa fica à esquerda da casa, à qual está ligada pela varanda, o que proporciona uma entrada privada ao nível do coro. As duas edificações configuram um pátio frontal, por onde se dá o acesso público à capela.

A fachada principal é marcada pela colunata da varanda, com colunas de tijolo de ordem toscana. No embasamento predominam os cheios, com três portas de acesso ao porão.

As fachadas secundárias têm vãos retangulares, e na fachada lateral direita está a rampa de acesso à varanda frontal.


Portal de entrada

O acesso se dá pela varanda frontal, alcançada por uma pequena rampa lateral. As portas de entrada são de madeira, com verga em arco abatido.

Janelas e pormenores decorativos

As janelas são de guilhotina e folhas externas de madeira.


ABREU, Mauricio de Almeida. Um quebra-cabeças (quase) resolvido: Os engenhos da Capitania do Rio de Janeiro – séculos XVI e XVII. In: Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. vol. X, nº 218 (32). Barcelona: Universidad de Barcelona, 2006.

______. Geografia histórica do Rio de Janeiro (1502-1700). Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio & Prefeitura do Município do Rio de Janeiro, 2010.

BIENE, Maria Paula Van. A arquitetura das casas-grandes remanescentes dos engenhos de açúcar no Rio de Janeiro setecentista. Disponível em: . Acesso em: 9 de outubro de 2013.

PEDROZA, Manoela. Passa-se uma engenhoca. Ou como se faziam transações com terras, engenhos e crédito em mercados locais e imperfeitos (freguesia de Campo Grande, Rio de Janeiro, séculos XVIII e XIX). In: Varia História. vol. 26, nº 43. Belo Horizonte: UFMG, 2010. p. 241-266.

______. Engenhocas da moral: parentela, terra e direitos de propriedade na freguesia de Campo Grande (1750-1920). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011.

Proprietários: Família Viegas.

Antônio Garcia do Amaral;

Francisco Garcia do Amaral;

Manoel Freire Ribeiro (compra);

Jerônimo Pinto Ribeiro;

Manoel Antunes Susano, alferes.

Proprietário atual: Município do Rio de Janeiro.

Tombado pelo IPHAN – 14 de junho de 1938 – inscr. nº 121, Livro de Belas Artes, vol. 1; F. 022. Nº Processo 0054-T-38.

Programa Interior


Programa geral – Tipologia e planta

A casa se desenvolve em torno da grande sala, com cômodos menores nos módulos laterais, quartos e/ou alcovas. A grande varanda frontal serve de acesso principal, fazendo também a ligação privada com a capela, através do coro.

A varanda dos fundos ocupa apenas o módulo que corresponde à sala, podendo ter sido mais extensa no passado. Ela dá acesso a um pátio de fundos.Aparecem nesta casa cômodos que estão no corpo principal, mas só têm acesso externo, seja pela varanda frontal, pelo pátio ou mesmo pelo terreno nos fundos. No caso dos quartos que dão para a varanda frontal, pode-se admitir que sejam os aposentos reservados para hospedagem de estranhos, fartamente descritos na literatura.

Entrada/vestíbulo/átrio

A entrada é feita diretamente pela sala.

Salas

A casa do engenho do Viegas possui uma grande sala que ocupa o módulo central, com acesso às varandas frontal e dos fundos. Ela é o principal dispositivo de distribuição, dando acesso aos cômodos laterais, quartos e/ou alcovas, sendo ponto de passagem quase inevitável na circulação.

A grande sala onde se desenrola a vida familiar – estar, comer, e até mesmo dormir – é característica das casas coloniais brasileiras até, bem avançado, o século XVIII.

Serviços

Em torno do pátio dos fundos aparecem cômodos sem comunicação direta com a sala, que parecem ter sido acrescentados à construção ao longo dos anos.

Essa distribuição sugere que esses cômodos fossem dedicados ao serviço, e possivelmente armazenagem. Os compartimentos voltados para o exterior nos fundos da casa deveriam estar também ligados ao serviço e à produção, podendo mesmo ter servido como senzalas.

Azulejaria
Estuques
Pintura Decorativa
Decoração Diversa
Equipamento Móvel
Equipamento Diverso


containertab

Validar
Validar
 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009