A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Pavilhão Real D. João VI

Pavilhão Real D. João VI
XVIII
Portugal

      


Projecto de pavilhão para o regente D. João: cortes, alçado e planta

José Manuel de Carvalho e Negreiros [Assin.], Novembro de 1794.

Desenho a tinta-da-china com aguarela.

Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, ARC.29.8.4 (2) e ARC 29.8.4 (3) e ARC 29.8.4 (4)


Legenda inferior: Offerece a Sua Alteza com o mais profundo resp.to José Mel de Carvalho e Negreiros em Novembro de 1794

Legenda da planta: Projecto pa hum Caffeaus adotável em qualquer das quintas de Sua Alteza. Devendo ser fechado com vidrasas nos lugares marcados Nº1, e os pórticos Nº2 pode não ter vidrasas

Nota:

Pela legenda dos três desenhos  podemos confirmar tratar-se de um projecto para um pavilhão real  oferecido pelo arquitecto Manuel de Carvalho Negreiros a  D. João, Príncipe Regente. Realizados em grandes dimensões e num impecável acabamento, estes desenhos evidenciam um gosto neoclássico e uma sólida cultura arquitectónica, aliando, nas suas linhas depuradas, uma notável coerência formal e grande rigor nos detalhes construtivos. Pela data de 1794, ano do incêndio da Real Barraca, a oferta destes desenhos ao Prinipe Regente prende-se com os preparativos para a construção do Palácio da Ajuda e a polémica entrega  do projecto ao Arq. Manuel Caetano de Sousa.   José Manuel de Carvalho e Negreiros demonstra, as suas inequívocas qualidades não só técnicas como estéticas aqui com um projecto de arquitectura palaciana, temática que desenvolve igualmente nos seus textos, tanto da Jornadas pelo Tejo como no texto subsequente Adittamento as Jornada pelo Tejo.


Bibliografia:

Carita, HelderJosé Manuel de Carvalho e Negreiros and The Portuguese Civil Architecture of Late 18th Century”, in Views on Eighteenth Century Culture: Design, Books and Ideas. London, Cambridge Scholars Publishing, 2015. pp151-166

Gomes, Paulo Varela, “Jornada pelo Tejo: Costa e Silva, Carvalho Negreiros e a cidade pós-pombalina”,in Monumentos, Lisboa, nº 21, Set. de 2004, pp132-141

 

PTCD/EAT-HAT/11229/2009