A Casa Senhorial

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Atividades

Colóquios realizados e comunicações apresentadas no âmbito do projeto

 

Em agosto de 2011 (24, 25 e 26) teve lugar um primeiro encontro no Rio de Janeiro – IV Encontro de estudos sobre o ambiente construído no Rio de Janeiro, dedicadoA casa senhorial nos séculos XVIII e XIX no Rio de Janeiro”. Organizado pela Fundação Casa de Rui Barbosa, contou com a apresentação das fontes e dos dados existentes relacionados com o tema de investigação e contendo as seguintes comunicações:

  • Hélder Carita: “Apresentação do programa de investigação das casas senhoriais de Lisboa”;
  • Cláudia Carvalho: "Análise formal das residências da elite carioca oitocentista: estágio da pesquisa";
  • Marize Malta e Denise Gonçalves: "Decoração e arquitetura: possibilidades de análise da espacialidade";
  • Denise Gonçalves: "Arquivos da casa imperial: limites e possibilidades para o estudo das residências imperiais";
  • Maria Fernanda Bicalho: "Onde habitam os nobres? Corte e espaços de moradia e de sociabilidade cortesã no Rio de Janeiro joanino";
  • Ana Lúcia Vieira dos Santos: "Casas de engenho do Rio de Janeiro colonial. Questões pendentes e novos pontos de vista";
  • Maria Paula van Biene: "A organização das fontes e referências sobre o Paço: montando imagens";
  • Ana Pessoa: "As chácaras da corte joanina".

No âmbito deste encontro teve ainda lugar uma visita ao palácio Itamaraty.

Em 8 de setembro de 2011, Isabel Mayer Godinho Mendonça, a convite da Associação Cultural Espaço e Memória de Oeiras, apresentou uma comunicação intitulada “Giovanni Grossi em Oeiras – estuques no Palácio Pombal”, integrada no ciclo de palestras “Forasteiros e estrangeiros em terras de Oeiras”.

Em 20 de outubro de 2011, no I Encontro do Palácio Centeno, organizado pela Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo/Reitoria da Universidade Técnica de Lisboa, três investigadores do projeto apresentaram comunicações, no auditório da reitoria da Universidade Técnica de Lisboa:

  • Ana Paula Rebelo Correia – “Iconografia e fontes de inspiração nos azulejos do Palácio Centeno”;
  • Celina Bastos e Anísio Franco – “Palácio Centeno – A intervenção fin-de-siècle de Nicola Bigaglia".

Em 24 e 25 de outubro de 2011, no Seminário de história da construção luso-brasileira, organizado pela Universidade Federal do Espírito Santo, em Vitória, Brasil, Hélder Carita apresentou uma comunicação intitulada – “Sistemas métricos e normas construtivas em argamassas de cal implementados pela Provedoria de obras reais/Casa das obras: séculos XVI ao XVIII”. 

Em novembro de 2011, Hélder Carita participou no congresso internacional sobre arquitetura e cultura do século XVIII – «Books with a View». Celebrando o nascimento do arquiteto e engenheiro militar Eugénio dos Santos (1711-1760), em Lisboa, com uma comunicação sobre “José Manuel de Carvalho Negreiros e a arquitectura civil portuguesa no final do século XVIII”.

Em 25 de novembro de 2011, Ana Paula Rebelo Correia participou do I Encontro de Património Azulejar, subordinado ao tema Lisboa: o azulejo e a cidade, com uma comunicação intitulada “Uma rota do azulejo seiscentista no painel da Vista de Lisboa”.

Em dezembro de 2011, Hélder Carita realizou a conferência de abertura do congresso internacional A casa nobre: Um Património para o futuro, intitulada “Tipologias e programas de casa nobre no tratado do arquitecto José Manuel de Carvalho e Negreiros”. O encontro teve lugar em Arcos de Valdevez.

Em 11 de fevereiro e em 29 de maio de 2012 Ana Paula Rebelo Correia, a convite dos Amigos do Museu do Azulejo, apresentou duas comunicações sobre a utilização da azulejaria em interiores palacianos: “O palácio do Correio-Mor: azulejos e iconografia” e  "Azulejos nos palácios de Lisboa".

Em 9 de maio de 2012 teve lugar a apresentação pública da investigação em curso no âmbito do projeto, no edifício da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Intitulada A casa senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro (séculos XVII, XVIII e XIX). Anatomia dos interiores”. (PTDC/EAT-HAT/112229/2009). Investigação e estudos de caso contou com as seguintes comunicações:

  • Hélder Carita, “Programas interiores e tipologias da casa nobre”;
  • Ana Paula Rebelo Correia, "Azulejos de uma casa nobre: temas e modelos";
  • Alexandre Lousada e Tiago Molarinho Antunes, “O palácio Cabral: um estudo de caso”;
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça,  “Estuques decorativos em palácios da região de Lisboa: encomendadores, artistas e fontes de inspiração”;
  • Lina Maria Marrafa de Oliveira, “Inventários post-mortem: testemunhos de vivências palacianas”;
  • Miguel Metelo de SEIXAS, "Perspectivas e interesse do estudo da heráldica no interior das casas senhoriais - o caso do palácio Metelo Cabral".

De 13 a 15 de agosto de 2012 realizou-se o IV Encontro Luso-Brasileiro de Museus-Casa, subordinado ao tema Revestimentos internos das casas do século XIX, organizado pela Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro. Neste colóquio apresentaram comunicações:

  • Hélder Carita – “Pintura decorativa em interiores dos finais do século XVIII e inícios do século XIX: de Manuel da Costa a André Monteiro da Cruz”;
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça – “O estuque ornamental e o apelo do exótico em interiores portugueses: Domingos Meira e as gravuras de Owen Jones”.

De 29 a 31 de agosto de 2012 teve lugar o III Colóquio de Estudos Sobre a Arte Brasileira do Século XIX – Intercâmbios Culturais entre Brasil e Portugal, organizado pelo Departamento de Artes – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (DArtes/UFRRJ), onde participaram:

  • Hélder Carita – “Salas pompeianas na região de Lisboa na passagem do século XVIII para o século XIX; programas iconográficos e ideologias”;
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça, “O fascínio do Oriente: salas chinesas em palácios de Lisboa no século XIX”.

De 21 a 24 de novembro de 2012 participaram no IV Congresso de História da Arte Portuguesa da Associação Portuguesa dos Historiadores de Arte (APHA), na Fundação  Calouste Gulbenkian, em Lisboa:

  • Hélder Carita – “O núcleo de escadas reais e a formação de um modelo de palácio barroco: entre João Antunes de André Soares”;
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça – "O que Cirilo não sabia sobre Giovanni Grossi e os outros estucadores suíços em Lisboa".

A 17 de janeiro de 2013 realizou-se o primeiro encontro que reuniu os membros dos dois grupos de investigação, no palácio Fronteira em Lisboa, sede da Fundação das Casas de Fronteira e Alorna: “A casa senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro: fontes primárias e investigações em curso”, com apresentação de nove comunicações:

  • Celina Bastos e Anísio Franco, “Para memória futura: interiores autênticos em Portugal”;
  • Hélder Carita, “Do scriptorium ao gabinete e à casa da livraria. Espaços da escrita nos interiores da casa nobre em Portugal”;
  • Ana Paula Rebelo Correia, “Iconografias nos revestimentos de azulejos da casa senhorial no século XVIII em Lisboa”;
  • Marize Malta, “Arte doméstica: modos de morar em fins do século XIX no Rio de Janeiro e a Casa Rui Barbosa”;
  • José Meco, “O recheio desaparecido do palácio do marquês de Pombal em Oeiras”;
  • Isabel  Mayer Godinho Mendonça, “Estuques e estucadores em palácios setecentistas da região de Lisboa”;
  • Ana Pessoa, “Retrospecto da pesquisa sobre a casa senhorial no Rio de Janeiro;
  • Isabel Sanson Portella, “O programa decorativo do palácio de Nova Friburgo”;
  • Ana Lúcia Vieira dos Santos, “Casas de engenho do Rio de Janeiro – século XVIII. Metodologias de estudo a partir de múltiplas fontes”.

Na semana de permanência do grupo de pesquisadores brasileiros em Lisboa, foram realizados dois encontros de trabalho: em 18 de agosto, no Museu da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, para troca de impressões sobre o andamento da investigação e sobre o funcionamento da base de dados; em 24 de agosto, no Museu de Arte Antiga, o tema da reunião foi o glossário sobre interiores e a metodologia a utilizar. Foram ainda realizadas visitas a vários palácios que são objetos de estudo do projeto: em 21 de janeiro visita ao Palácio Cabral, na calçada do Combro e ao palácio Porto Covo, na rua de S. Domingos; no dia 22 ao palácio do Correio-Mor, em Loures e ao palacete da Quinta Nova da Assunção, em Belas; no dia 25 ao palácio Pombal, em Oeiras

De 21 a 23 de janeiro de 2013 realizou-se o colóquio sobre Património Cultural Chinês em Portugal, no Centro Científico e Cultural de Macau, em Lisboa, com as seguintes comunicações por investigadores do projeto:

  • Ana Cristina da Costa Gomes – "Papéis da China";
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça – "Salas chinesas: uma moda em palácios oitocentistas de Lisboa".

Em 17 de abril de 2013, Miguel de Metelo Seixas apresentou  uma comunicação no Instituto Português de Heráldica, intitulada “A heráldica do Palácio Cabral Metelo na calçada do Combro (Lisboa)”.

Dia 8 de agosto, em sessão de Estudo e Pesquisa do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, apresentaram as seguintes comunicações:

  • Ana Pessoa -  “A casa senhorial no Rio de Janeiro”;
  • Ana Lúcia Vieira dos Santos, “As casas rurais”.

De 20 a 22 de agosto de 2013 teve lugar o segundo encontro entre os investigadores do projeto, na Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro: “A casa senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro: patrimônios comuns e circulação de experiências”:

  • Tiago Molarinho Antunes, “Arquitetura residencial nobre em Lisboa, séculos XVII e XVIII: estudo da organização tipológica a partir das circulações interiores”;
  • Maria Paula Van Bienne, “Os interiores do paço da Boa Vista”;
  • Hélder Carita, “Percursos de transição entre a casa nobre do século XVIII e o palacete do século XIX: modelos, programas distributivos e vivências interiores”;
  • Cláudia Carvalho, Patrícia Cordeiro e Fernanda Costa, “Técnicas de documentação: superfícies internas de museus casas históricas”;
  • Marize Malta, “O móvel doméstico oitocentista no Rio de Janeiro a partir de documentos, almanaques, leilões”;
  • Isabel  Mayer Godinho Mendonça, “O palácio Vilalva em Lisboa: interiores oitocentistas lisboetas ao gosto de Paris e Bruxelas”;
  • Ana Pessoa e Ana Lúcia Vieira dos Santos, “Estucadores no Rio de Janeiro oitocentista”;
  • José Pessôa, “A casa do visconde do Rio Seco”;
  • Isabel Sanson Portella, “Análise tipológica dos pisos hidráulicos do Palácio Nova Friburgo/Palácio do Catete”;
  • Ana Lúcia Vieira dos Santos, “A casa senhorial no Rio de Janeiro do século XVIII”.

Durante a semana de permanência dos pesquisadores portugueses no Rio de Janeiro realizaram-se encontros de trabalho e foram feitas várias visitas de estudo a edifícios que estão a ser inventariados no Rio de Janeiro.

De 4 a 6 de setembro de 2013, participação no “I Congresso Internacional de História da construção luso-brasileira”, em Vitória, Espírito Santo, promovido pela Universidade Federal do Espírito Santo, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pela Universidade Federal Fluminense, pela Universidade Técnica de Lisboa e pela Universidade de Coimbra.

  • Hélder Carita participou na mesa-redonda “Tratados, engenheiros militares e construtores”, coordenada por José Simões de B. Pessôa (UFF) sobre “Escadas reais: gênese, formação e sua circulação para a Índia e Brasil: entre Teodósio de Frias e Luís da Cunha Meneses”;
  • Ana Pessoa e Ana Lúcia Vieira dos Santos apresentaram uma comunicação sobre “Estucadores no Rio de Janeiro oitocentista”.

Entre 4 e 6 de junho de 2014 teve lugar o Colóquio internacional “A casa senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro (séculos XVII, XVIII e XIX). Anatomia dos interiores”, no Museu de Artes Decorativas / Palácio Azurara, sede da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, que reuniu 36 conferencistas portugueses e estrangeiros em torno dos quatro grandes temas que nortearam a investigação sobre a casa senhorial:

Tema 1: Mecenas e artistas. Vivências e rituais

  • Cátia Teles e Marques, “Modelos de representação protagonizados por bispos da nobreza nos paços episcopais durante o período póstridentino em Portugal”;
  • Daniela Viggiani, “L’ Abecedario Pittorico de Pellegrino Antonio Orlandi”;
  • Celina Borges Lemos e André G. D. Dangelo, “Solar “casa padre toledo”: o bem cultural como uma conjunção ritualística de espaços e tempos limiares”;
  • Maurício V. Ferreira Júnior, “D. Pedro II e sua vilegiatura tropical serrana”;
  • Gonçalo de Vasconcelos e Sousa, “Os arquivos particulares e o estudo das Artes Decorativas dos palácios de Lisboa dos séculos XVIII e XIX”;
  • Miguel Metelo de Seixas, “O uso da Heráldica no interior da casa senhorial portuguesa do Antigo Regime: propostas de sistematização e entendimento”;

Tema 2: Arquitetura, estruturas e programas distributivos

  • Isabel Soares de Albergaria, “O Palácio dos Câmaras aos Mártires – um caso excecional da opulência seiscentista”;
  • João Vieira Caldas e Maria João Pereira Coutinho, “O nome e a função: Terminologia e uso dos compartimentos na casa nobre urbana da primeira metade do século XVIII”;
  • Hélder Carita, “O Palácio Ramalhete, nas Janelas Verdes: uma tipologia de palacete pombalino”;
  • Ana Lúcia Vieira dos Santos, “Formas de morar no Rio de Janeiro do século XIX – espaço interior e representação social”;
  • Mariana Pinto R. J. Ferreira e Tiago Molarinho Antunes, “O Palácio dos Condes da Ribeira Grande, na Junqueira: Análise do conjunto edificado”;
  • José Pessôa, “Padrões distributivos das casas senhoriais no Rio de Janeiro do primeiro quartel do século XIX”;
  • Gustavo R. A. do Carmo, “O Palácio das Laranjeiras e a Belle Époque no Rio de Janeiro (1909-1914)”;
  • José M. Morgado Neto, “As Casa Senhoriais da Belém colonial entre os séculos XVIII e XIX: sob a perspectiva dos relatos de viajantes, da iconografia da época e da remanescência no centro histórico da cidade”;
  • Patrícia T. J. Schettino e Celina B. Lemos, “O Palacete Carioca. Estudo sobre a relação entre as transformações da arquitetura residencial da elite e a evolução do papel social feminino no final do século XIX e início do século XX no Rio de Janeiro”;
  • Felipe A. Bosi, “Palácio Isabel: O Palácio do Conde e Condessa d’Eu no Segundo Reinado brasileiro”;
  • Paulo M. Pereira, “A Arquitetura doméstica de Raul Lino (1900-1918). Expressão meridional do Arts and Crafts, ou síntese local de um movimento artístico universal do último terço de oitocentos”;

Tema 3: A ornamentação fixa

  • José Meco, “Capelas palacianas do século XVIII na região de Lisboa”;
  • Sofia Braga, “Sobre a sala Pompeia do antigo Palácio da Ega”;
  • Cristina Costa Gomes e Isabel Murta Pina, “Papéis de parede chineses em casas senhoriais portuguesas no século XVIII”;
  • Ana Pessoa, “A arte decorativa nas casas de elite do Rio de Janeiro do século XIX”;
  • Isabel Mayer Godinho Mendonça, “Estuques de Paris e “parquets” de Bruxelas num palácio oitocentista de Lisboa”;
  • Isabel Sanson Portella, “Análise tipológica dos padrões dos pisos parquet dos salões do Palácio Nova Friburgo / Palácio do Catete”;
  • Alexandre Mascarenhas, Cristina Rozisky,  Fábio Galli, “A Casa Senhorial em Pelotas no século XIX: família Antunes Maciel”;
  • Miguel Leal, “A pintura decorativa do Palacete Alves Machado”;
  • Rosa Arraes, “A função social das decorações e seus ornatos dos palacetes, na Belle Époque amazônica”;
  • Ana Paula Rebelo Correia, “Memórias de casas senhoriais – patrimónios esquecidos”;

Tema 4: O equipamento móvel

  • Maria João Ferreira, “Ecos de hábitos e usos nos inventários: os adereços têxteis nos interiores das residências senhoriais lisboetas seiscentistas e setecentistas”;
  • Maria Aparecida de M. Borrego, “Fontes e métodos para o estudo da casa colonial: relatos de uma experiência de pesquisa realizada no Museu Paulista/USP”;
  • Marize Malta, “Sumptuoso leilão de ricos móveis... Um estudo sobre o mobiliário das casas senhoriais oitocentistas no Rio de Janeiro por meio de compras e vendas”.

A 19 de junho de 2014, Isabel M. G. Mendonça, a convite da Fundação Eugénio de Almeida, realizou uma palestra no palácio Vilalva, em Lisboa, intitulada “O palácio de S. Sebastião da Pedreira, residência da família Eugénio de Almeida: interiores oitocentistas ao gosto de Paris e Bruxelas”.

Durante o mês de agosto de 2014, Hélder Carita teve oportunidade de divulgar o projeto e a sua base de dados em comunicações que realizou no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, em Ouro Preto, estado de Minas Gerais e em Florianópolis, estado de Santa Catarina:

  •  “A casa senhorial entre as luzes e o romantismo: tipologias, programas interiores e artes decorativas”, curso ministrado na Casa Rui Barbosa, Rio de Janeiro, Brasil, a 11,13,15, 18, 20 e 22 de agosto de 2014;
  • Palestra de Encerramento do Encontro Nacional de Tecnologia em Conservação e Restauro, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Minas Gerais, Ouro Preto, Brasil, 29 de agosto de 2014;
  •  “A casa senhorial em Lisboa e no Rio de Janeiro”, Encontro Brasileiro de Museus-Casas – Museografia e Recepção: (Pro)vocações, Rio de Janeiro, Brasil, Fundação Casa de Rui Barbosa, a 12 de agosto de 2014;
  •  “O Modelo de Palácio Barroco de Núcleo Central e o Projecto da Casa do Governador da Capitania de Santa Catarina”, Florianópolis, Brasil, Universidade Federal de Santa Catarina – Departamento de Arquitetura, em 25 de agosto de 2014.

Em 30 de agosto de 2014 Isabel Mayer Godinho Mendonça, a convite da Câmara Municipal de Oeiras, realizou uma visita guiada ao palácio Pombal, em Oeiras, e uma palestra sobre os seus estuques decorativos.

De 1 a 5 de setembro de 2014 teve lugar no Rio de Janeiro o seminário “Percursos interculturais luso-brasileiros: modos de pensar e fazer”, promovido pelo Real Gabinete Português de Leitura. Ana Pessoa e Ana Lúcia Vieira dos Santos apresentaram o trabalho “Estucadores portugueses no Rio de Janeiro do século XIX”. Disponível em: .

Nos dias 22 e 23 de outubro de 2014 foi realizado o VII Encontro de estudos sobre o ambiente construído do Brasil no século XIX.  Artes Decorativas Aplicadas à Arquitetura: Estudo e Preservação, na Fundação Casa de Rui Barbosa, quando foi apresentado versões revistas e ampliadas das nossas comunicações lisboetas, agregando novos parceiros para o tema. Disponível em: .

Publicações no âmbito do projeto

Livros:

CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (No prelo, a lançar em fevereiro de 2015, no Museu Nacional de Arte Antiga).

MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

Capítulos de livros e artigos em publicações internacionais:

A. BOSI, Paulo. Palácio Isabel: O Palácio do Conde e Condessa d’Eu no Segundo Reinado brasileiro. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

ALBERGARIA, Isabel S. De. O Palácio dos Câmaras aos Mártires – um caso excecional da opulência seiscentista. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

ANTUNES, Tiago M. e FERREIRA, Mariana P. R. J. O Palácio dos Condes da Ribeira Grande, na Junqueira: Análise do conjunto edificado. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

ARRAES, Rosa. A função social das decorações e seus ornatos dos palacetes, na Belle Époque da amazônica. CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

BASTOS, Celina e FRANCO, Anísio. Para memória futura: interiores autênticos em Portugal. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

BRAGA, Sofia. Sobre a sala Pompeia do antigo Palácio da Ega. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

CARITA, Hélder. Sistemas métricos e normas construtivas em argamassas de cal implementados pela Provedoria de Obras Reais / Casa das Obras: séculos XVI a XVIII. In: PORTO, Nelson. Subsídios para uma história da construção luso-brasileira. Rio de Janeiro: POD editora, 2013.

______. Salas Pompeianas na região de Lisboa na passagem do século XVIII para o século XIX; programas iconográficos e ideologias. In: _____. Oitocentos. Intercâmbios culturais entre Portugal e Brasil. Tomo III. Rio de Janeiro: Ed. Edur-UFRRJ, 2013. p. 218-230.

______. Do scriptorium ao gabinete e à casa da livraria. Espaços da escrita nos interiores da casa nobre em Portugal. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. José Manuel de Carvalho Negreiros e a arquitectura civil portuguesa no final do século XVIII. Congresso Internacional sobre Arquitectura e Cultura do Século XVIII – Books with a View, Celebrando o nascimento do arquiteto e engenheiro militar Eugénio dos Santos (1711-1760), Lisboa, no prelo.

______.  O Palácio Ramalhete, nas Janelas Verdes: uma tipologia de palacete pombalino. A casa senhorial entre Lisboa e Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. In: _____. e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

CALDAS, João V. e COUTINHO, Maria João P.  O nome e a função: Terminologia e uso dos compartimentos na casa nobre urbana da primeira metade do século XVIII. A Casa Senhorial entre Lisboa e Rio de Janeiro, Anatomia dos Interiores. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

CARMO, Gustavo R. A. Do. O Palácio das Laranjeiras e a Belle Époque no Rio de Janeiro (1909-1914. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

CORREIA, Ana Paula R. Iconografias nos revestimentos de azulejos da casa senhorial no século XVIII em Lisboa. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. Memórias de casas senhoriais – patrimónios esquecidos. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.).  Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

FERREIRA, Maria João. Ecos de hábitos e usos nos inventários: os adereços têxteis nos interiores das residências senhoriais lisboetas seiscentistas e setecentistas. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

GOMES, Cristina C. e PINA, Isabel M. Papéis de parede chineses em casas senhoriais portuguesas no século XVIII. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

LEAL, Miguel. A pintura decorativa do Palacete Alves Machado. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

LEMOS, Celina B. e DANGELO, André G. D. Solar “casa padre toledo”: o bem cultural como uma conjunção ritualística de espaços e tempos limiares. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

MALTA, Marize. Arte doméstica: modos de morar em fins do século XIX no Rio de Janeiro e a Casa Rui Barbosa.  In: ______. e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. Sumptuoso leilão de ricos móveis... Um estudo sobre o mobiliário das casas senhoriais oitocentistas no Rio de Janeiro por meio de compras e vendas. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

MARQUES, Cátia T. Modelos de representação protagonizados por bispos da nobreza nos paços episcopais durante o período póstridentino em Portugal. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

MASCARENHAS, Alexandre, ROZISKY, Cristina, GALLI, Fábio. A Casa Senhorial em Pelotas no século XIX: família Antunes Maciel. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

MECO, José. O recheio desaparecido do palácio do marquês de Pombal em Oeiras. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

MENDONÇA, Isabel M. G. O fascínio do Oriente: Salas chinesas em Palácios de Lisboa no século XIX. In: Oitocentos. Intercâmbios culturais entre Portugal e Brasil. Tomo III. Rio de Janeiro: Ed. Edur-UFRRJ, 2013. p. 218-230.

______. Estuques decorativos em palácios da região de Lisboa: encomendadores, artistas e fontes de inspiração. In: . In: MALTA, Marize e ______. (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. Dibujos de Brás de Almeida (1649/1705). Un “catalogo” para techos”, Dibujar las artes aplicadas: Dibujo de ornamentación para platería, mayólica, mobiliario, arquitectura efímera y retablística entre Portugal, España e Italia (siglos XVI-XVIII), no prelo.

______. Dibujos para Artes Decorativas en Portugal. El contributo de Brás de Almeida (1649/1705)”, Dibujo y Ornamento: trazas y dibujos de artes decorativas entre Portugal, España y Italia (siglos XVI-XVIII). Estudios en honor de Doña Fuensanta García de la Torre, no prelo.

______. Estuques de Paris e “parquets” de Bruxelas num palácio oitocentista de Lisboa. In: MALTA, Marize e ______. (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

NETO, José M. M. As casas senhoriais da Belém colonial entre os séculos XVIII e XIX: sob a perspectiva dos relatos de viajantes, da iconografia da época e da remanescência no centro histórico da cidade. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

OLIVEIRA, Lina M. M. De. Inventários post-mortem: documentos de vivências senhoriais. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

PEREIRA, Paulo M. A Arquitetura doméstica de Raul Lino (1900-1918). Expressão meridional do Arts and Crafts, ou síntese local de um movimento artístico universal do último terço de oitocentos. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

PESSOA, Ana. Retrospecto da pesquisa sobre a casa senhorial no Rio de Janeiro. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. A arte decorativa nas casas de elite do Rio de Janeiro do século XIX. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

PESSÔA, José. Padrões distributivos das casas senhoriais no Rio de Janeiro do primeiro quartel do século XIX. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

PORTELLA, Isabel S. O programa decorativo do palácio de Nova Friburgo. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. Análise tipológica dos padrões dos pisos parquet dos salões do Palácio Nova Friburgo / Palácio do Catete. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

SANTOS, Ana Lúcia V. Dos. Casas de engenho do Rio de Janeiro – século XVIII. Metodologias de estudi a partir de múltiplas fontes. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

______. Formas de morar no Rio de Janeiro do século XIX – espaço interior e representação social. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

SCHETTINO, Patrícia T. J.  e LEMOS, Celina B. O Palacete Carioca. Estudo sobre a relação entre as transformações da arquitetura residencial da elite e a evolução do papel social feminino no final do século XIX e início do século XX no Rio de Janeiro. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

SEIXAS, M. M. Perspectivas e interesse do estudo da heráldica no interior das casas senhoriais. O caso lisboeta do palácio Cabral Metelo. In: MALTA, Marize e MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas Senhoriais Rio-Lisboa e seus interiores. Rio de Janeiro / Lisboa: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Nova de Lisboa, Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2014.

______. O uso da Heráldica no interior da casa senhorial portuguesa do Antigo Regime: propostas de sistematização e entendimento. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

VIGGIANI, Daniela. L’Abecedario Pittorico de Pellegrino Antonio Orlandi. In: CARITA, Hélder e  MENDONÇA, Isabel (Coord.). Casas senhoriais em Lisboa e no Rio de Janeiro. Anatomia dos Interiores. Lisboa: Instituto de História da Arte FCSH-UNL e Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no prelo.

Capítulos de livros e artigos em publicações nacionais:

BASTOS, Celina e FRANCO, Anísio. Palácio Centeno – A intervenção fin-de-siècle de Nicola Bigaglia. I Encontro do Palácio Centeno, Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo/ Reitoria da Universidade Técnica de Lisboa, 2012.

CORREIA, Ana Paula R. Iconografia e Fontes de Inspiração nos Azulejos do Palácio Centeno. I Encontro do Palácio Centeno, Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo/ Reitoria da Universidade Técnica de Lisboa, 2012.

MECO, José. Azulejos de Lisboa desaparecidos, num relatório
de Irisalva Moita. Boletim Cultural da Assembleia Distrital de Lisboa – Assembleia Distrital de Lisboa, série IV, nº 96, 1º tomo, 2011.

MENDONÇA, Isabel M. G. João Grossi e a sua “companhia.  Estucadores estrangeiros na capela da Ordem Terceira de Jesus. In: Revista Rossio, nº 3, Gabinete de Estudos Olisiponenses, 2014. p. 168-179. Disponível em: .

______. Estucadores do Ticino na Lisboa joanina. In: Cadernos do Arquivo Municipal de Lisboa, Lisboa, Arquivo Municipal, 2ª série, nº 1, 2014. p. 185-220.

______. O palácio de Fernando de Larre na calçada do Combro e os seus estuques. In: Estudos de Lisboa, Revista do Instituto de História da Arte da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, nº 13, no prelo.

______. Salas chinesas: uma moda em palácios oitocentistas de Lisboa. In: Património cultural chinês em Portugal, Lisboa, Centro Científico e Cultural de Macau, Lisboa, no prelo.


 


PTCD/EAT-HAT/11229/2009